Ter bom humor não significa tentar ser engraça do. Muitas pessoas tentam ser engraçadas e acabam piorando as coisas. O humor deve ser usado com moderação, para aliviar tensões, não para criá-las.


Bom humor é muito mais a disposição de encarar as coisas de maneira leve, descontraída e positiva do que ser engraçado.


É um estado de espírito; por isso, ser espirituoso é fundamental. O bom humor faz bem à saúde, favorece o aprendizado e é matéria-prima de bons relacionamentos, produtividade e criatividade. Ele aproxima as pessoas e demonstra humildade, sinceridade e disponibilidade, sem com isso nos tornar vulneráveis.



A prática do bom humor reduz o estresse negativo, colabora com a autoestima e diminui as tensões no trabalho e na vida pessoal.


Quanto mais focadas em resultado se tornam as empresas, mais elas procuram atrair talentos bem humorados. Eles energizam as outras pessoas e estimulam o pensamento inovador. A maioria dos bem humorados encontra respostas mais rápidas e originais.


Agindo com bom humor, estimulamos a imaginação, a convivência saudável e um clima positivo no ambiente de trabalho.


O bom humor é uma excelente maneira de dizer coisas sérias de forma leve, mas não deve ferir nem causar constrangimento.


O pior dos dias é sempre aquele em que não houve risos. No caminho para o trabalho, sintonize seu coração com a alegria; deixe a mente aber ta, com a atitude interior de contagiar as pessoas a tornarem o dia especial!


Bom humor é a característica dos que estão de bem com a vida e convidam os outros a fazerem o mesmo!


O bom humor é contagiante! Contagie e deixe-se contagiar.


Amplie suas forças


Descubra seus pontos fortes e dedique-se a tor ná-los extraordinariamente fortes.


Pessoas que focam em suas fraquezas tornam-se ainda mais fracas. Os fortes focam em suas forças.


Veja a seguinte fábula:


Correu na floresta um boato de que muitos caçadores iriam atacar. Cada animal tratou de se preparar para a sobrevivência, treinando suas com petências naturais.


A ite, um pássaro, um coelho, um peixe e um pato reuniram-se para conversar.


O pássaro disse:


Estou na minha melhor forma! Nenhum caçador conseguirá me pegar, voo como um avião...


Eu estou correndo mais que um queniano, ninguém me pega - disse o coelho.


Ninguém nada melhor que eu. Não me pegarão - disse o peixe.


O pato, arrogante, disse: - Como vocês são limitados! Eu faço as três coisas: voo, corro e nado.


Chegam os caçadores. O pássaro, o coelho e o peixe conseguem escapar usando suas forças. Mas o pato, que tinha todas as habilidades em potencial, não se dedicou a desenvolvê-las e fortalecê-las. Foi o jantar dos caçadores.


Amplie suas forças. Não é a quantidade que faz a diferença, é a qualidade delas!


Esse era sempre o conselho de Peter Drucker: treine seus pontos fortes para que eles se tornem incrivelmente fortes.